Review | Arquivo X - 5ª temporada

Atualizado: 20 de Set de 2021

Chegamos ao review da 5ª temporada de Arquivo X, sem spoilers para quem já viu as temporadas anteriores. Percebe-se que a série perdeu um pouco o fôlego, com um número menor de episódios e com qualidade não tão boa quanto as temporadas anteriores.


Reviews anteriores:


Número de episódios: 20

Duração: 45 minutos

Início: 02 de novembro de 1997

Season finale: 17 de maio de 1998


Review completo de cada episódio:


Episódio 01 - Redux (Em Busca da Verdade 1): a temporada passada terminou com o gancho bombástico que o Agente Mulder teria morrido, mas UFA!, os fãs podem respirar aliviados pois ele está vivo e foi a Agente Scully quem o ajudou. É o marco da descrença de Mulder nos alienígenas. Apesar da retomada da mitologia, não é um dos melhores episódios.



Episódio 02 - Redux II (Em Busca da Verdade 2): continuação do anterior, agora a Agente Scully está hospitalizada devido ao seu câncer, e Mulder está em busca da cura. Será que o agente faria um trato com o Canceroso para salvar sua parceira? Mais descobertas sobre Samantha. Melhor que o episódio anterior.



Episódio 03 - Unusual Suspects (Suspeitos Incomuns): o episódio se passa em 1989 e descobrimos a origem d’Os Pistoleiros Solitários, como eles se tornaram amigos e como conheceram Mulder. É razoável e tem momentos divertidos.



Episódio 04 - Detour (Homens Mariposa): esse é o primeiro “Monstro da Semana” da temporada, em que a lenda do Homem Mariposa é explorada. Tem um momento Scully-Mulder bem parecido com o que ocorreu na 3ª temporada, no episódio do Big Blue (22). É uma lenda interessante com resultado mediano.



Episódio 05 - The Post-Modern Prometheus (Prometeu Pós-Moderno): filmado totalmente em preto e branco, é uma homenagem ao Frankenstein de Mary Shelley (com referência também ao escritor John William Polidori). É um episódio adorável que fez com que Cher (sim, a cantora), após assisti-lo, se arrependesse de ter recusado uma participação nele.



Episódio 06 - Christmas Carol (Surpresa no Natal - Parte 1): voltando à mitologia, Scully descobre a existência de uma pequena garotinha, a qual suspeita ser filha de sua falecida irmã. Conhecemos também um pouco mais da infância da agente com a sua família. Bom.



Episódio 07 - Emily (Emily - Parte 2): continuação do anterior, a origem da garotinha é explicada, e descobrimos que foi concebida durante a abdução da Agente Scully. Particularmente, não gosto do episódio. Creio que os roteiristas começaram a se enrolar na mitologia a partir daqui.



Episódio 08 - Kitsunegari (Caça à Raposa): lembram do vilão Robert Modell do episódio 17 da 3ª temporada? Aquele que conseguia instigar as pessoas através de sons e imagens? Ele está de volta, e dessa vez não está sozinho. A ideia é muito boa, mas não tão bem executada.



Episódio 09 - Schizogeny (Esquizofrenia): adolescentes putassos e plantas assassinas. Péssimo episódio.



Episódio 10 - Chinga (Feitiço): quem escreveu o roteiro desse episódio foi ninguém menos do que Stephen King (com modificações de Chris Carter). A história se passa no Maine (é claro), onde Scully resolve tirar uns dias de férias. Lá, ela se depara com estranhas mortes que podem estar associadas à boneca de uma garotinha. Muito bom, especialmente para fãs do autor.



Episódio 11 - Kill Switch (Vivendo no Ciberespaço): tecnologia, inteligência artificial, transferência de consciência para máquinas e realidade virtual. Os primeiros minutos são incríveis, depois fica no marasmo. Apesar de eu não gostar do episódio, ele recebeu críticas positivas. Reza a lenda que o nome do episódio inspirou o nome da banda Killswitch Engage.



Episódio 12 - Bad Blood (Vampiros): um dos maiores acertos desta temporada. O episódio se inicia com Mulder perseguindo um jovem e matando-o com uma estaca, alegando que este não era humano e sim um vampiro. Voltando à Washington, Mulder deve explicações ao FBI e tudo que se passou é mostrado do ponto de vista de cada agente. Tem participação do Luke Wilson e é bem divertido!



Episódio 13 - Patient X (A Paciente X - Parte 1): de volta à mitologia, conhecemos os Aliens Rebeldes, que costuram seus próprios olhos e bocas a fim de não serem contaminados com o óleo negro. Krycek está de volta, Marita Covarrubias é infectada e conhecemos a personagem Cassandra Spender (interpretada por Veronica Cartwright), mãe do agente Jeffrey Spender, que alega ter sido abduzida. É um episódio razoável, mas cheio de informações.



Episódio 14 - The Red and the Black (A Paciente X - Parte 2): continuação do anterior, mais um pouco da briga entre Aliens Colonizadores e Aliens Rebeldes. Ocorre um massacre em uma montanha com diversas pessoas queimadas até a morte, e Scully estava no local e é uma sobrevivente. Ela aceita ser hipnotizada para que se descubra o que ocorreu no local. Percebe-se um Mulder cada vez mais cético. Quanto ao óleo negro, será que existe uma vacina? Melhor que o anterior.



Episódio 15 - Travelers (Simpatizantes): esse episódio se passa em sua maior parte na década de 1950, e mostra o início dos Arquivos X, mostrando uma experiência em agentes do FBI, a ameaça comunista, e também o pai do Mulder mais jovem. Bom.



Episódio 16 - Mind’s Eye (Visão Interior): uma mulher cega que tem visões em sua mente, é suspeita de participação em assassinatos. É um bom episódio com atuação incrível de Lily Taylor.



Episódio 17 - All Souls (O Serafim): uma adolescente com um grave problema na coluna que a impede de andar, é encontrada morta pelo pai no meio da rua, em posição de “adoração” (como um anjo). A Agente Scully vai investigar o caso. Tem cunho fortemente religioso, com uma Scully mostrando seu lado mais “crente”, enquanto Mulder mostra seu lado mais cético. Mediano.



Episódio 18 - The Pine Bluff Variant (A Biotoxina): um “Monstro da Semana” com cara de episódio da mitologia, trazendo situações realistas. Mostra uma biotoxina que devora pessoas em pouquíssimo tempo. Mulder infiltrado, armas biológicas, assalto a banco, seu roteiro poderia muito bem render um bom filme de suspense.



Episódio 19 - Folie à Deux (Loucura Coletiva): o episódio é centrado em um homem que trabalha em uma operação de telemarketing, e que tem um episódio de suposta loucura (esse trabalho deixa qualquer um doido, experiência própria). Ele acredita que seu chefe é um monstro que transforma seus colegas de trabalho em zumbis. Um episódio fantástico!