• Cultista

Review: Arquivo X - 5ª temporada

Chegamos ao review da 5ª temporada de Arquivo X, sem spoilers para quem já viu as temporadas anteriores. Percebe-se que a série perdeu um pouco o fôlego, com um número menor de episódios e com qualidade não tão boa quanto as temporadas anteriores.


Reviews anteriores:


Número de episódios: 20

Duração: 45 minutos

Início: 02 de novembro de 1997

Season finale: 17 de maio de 1998


Review completo de cada episódio:


Episódio 01 - Redux (Em Busca da Verdade 1): a temporada passada terminou com o gancho bombástico que o Agente Mulder teria morrido, mas UFA!, os fãs podem respirar aliviados pois ele está vivo e foi a Agente Scully quem o ajudou. É o marco da descrença de Mulder nos alienígenas. Apesar da retomada da mitologia, não é um dos melhores episódios.



Episódio 02 - Redux II (Em Busca da Verdade 2): continuação do anterior, agora a Agente Scully está hospitalizada devido ao seu câncer, e Mulder está em busca da cura. Será que o agente faria um trato com o Canceroso para salvar sua parceira? Mais descobertas sobre Samantha. Melhor que o episódio anterior.



Episódio 03 - Unusual Suspects (Suspeitos Incomuns): o episódio se passa em 1989 e descobrimos a origem d’Os Pistoleiros Solitários, como eles se tornaram amigos e como conheceram Mulder. É razoável e tem momentos divertidos.



Episódio 04 - Detour (Homens Mariposa): esse é o primeiro “Monstro da Semana” da temporada, em que a lenda do Homem Mariposa é explorada. Tem um momento Scully-Mulder bem parecido com o que ocorreu na 3ª temporada, no episódio do Big Blue (22). É uma lenda interessante com resultado mediano.



Episódio 05 - The Post-Modern Prometheus (Prometeu Pós-Moderno): filmado totalmente em preto e branco, é uma homenagem ao Frankenstein de Mary Shelley (com referência também ao escritor John William Polidori). É um episódio adorável que fez com que Cher (sim, a cantora), após assisti-lo, se arrependesse de ter recusado uma participação nele.



Episódio 06 - Christmas Carol (Surpresa no Natal - Parte 1): voltando à mitologia, Scully descobre a existência de uma pequena garotinha, a qual suspeita ser filha de sua falecida irmã. Conhecemos também um pouco mais da infância da agente com a sua família. Bom.



Episódio 07 - Emily (Emily - Parte 2): continuação do anterior, a origem da garotinha é explicada, e descobrimos que foi concebida durante a abdução da Agente Scully. Particularmente, não gosto do episódio. Creio que os roteiristas começaram a se enrolar na mitologia a partir daqui.



Episódio 08 - Kitsunegari (Caça à Raposa): lembram do vilão Robert Modell do episódio 17 da 3ª temporada? Aquele que conseguia instigar as pessoas através de sons e imagens? Ele está de volta, e dessa vez não está sozinho. A ideia é muito boa, mas não tão bem executada.



Episódio 09 - Schizogeny (Esquizofrenia): adolescentes putassos e plantas assassinas. Péssimo episódio.



Episódio 10 - Chinga (Feitiço): quem escreveu o roteiro desse episódio foi ninguém menos do que Stephen King (com modificações de Chris Carter). A história se passa no Maine (é claro), onde Scully resolve tirar uns dias de férias. Lá, ela se depara com estranhas mortes que podem estar associadas à boneca de uma garotinha. Muito bom, especialmente para fãs do autor.



Episódio 11 - Kill Switch (Vivendo no Ciberespaço): tecnologia, inteligência artificial, transferência de consciência para máquinas e realidade virtual. Os primeiros minutos são incríveis, depois fica no marasmo. Apesar de eu não gostar do episódio, ele recebeu críticas positivas. Reza a lenda que o nome do episódio inspirou o nome da banda Killswitch Engage.



Episódio 12 - Bad Blood (Vampiros): um dos maiores acertos desta temporada. O episódio se inicia com Mulder perseguindo um jovem e matando-o com uma estaca, alegando que este não era humano e sim um vampiro. Voltando à Washington, Mulder deve explicações ao FBI e tudo que se passou é mostrado do ponto de vista de cada agente. Tem participação do Luke Wilson e é bem divertido!



Episódio 13 - Patient X (A Paciente X - Parte 1): de volta à mitologia, conhecemos os Aliens Rebeldes, que costuram seus próprios olhos e bocas a fim de não serem contaminados com o óleo negro. Krycek está de volta, Marita Covarrubias é infectada e conhecemos a personagem Cassandra Spender (interpretada por Veronica Cartwright), mãe do agente Jeffrey Spender, que alega ter sido abduzida. É um episódio razoável, mas cheio de informações.



Episódio 14 - The Red and the Black (A Paciente X - Parte 2): continuação do anterior, mais um pouco da briga entre Aliens Colonizadores e Aliens Rebeldes. Ocorre um massacre em uma montanha com diversas pessoas queimadas até a morte, e Scully estava no local e é uma sobrevivente. Ela aceita ser hipnotizada para que se descubra o que ocorreu no local. Percebe-se um Mulder cada vez mais cético. Quanto ao óleo negro, será que existe uma vacina? Melhor que o anterior.



Episódio 15 - Travelers (Simpatizantes): esse episódio se passa em sua maior parte na década de 1950, e mostra o início dos Arquivos X, mostrando uma experiência em agentes do FBI, a ameaça comunista, e também o pai do Mulder mais jovem. Bom.



Episódio 16 - Mind’s Eye (Visão Interior): uma mulher cega que tem visões em sua mente, é suspeita de participação em assassinatos. É um bom episódio com atuação incrível de Lily Taylor.



Episódio 17 - All Souls (O Serafim): uma adolescente com um grave problema na coluna que a impede de andar, é encontrada morta pelo pai no meio da rua, em posição de “adoração” (como um anjo). A Agente Scully vai investigar o caso. Tem cunho fortemente religioso, com uma Scully mostrando seu lado mais “crente”, enquanto Mulder mostra seu lado mais cético. Mediano.



Episódio 18 - The Pine Bluff Variant (A Biotoxina): um “Monstro da Semana” com cara de episódio da mitologia, trazendo situações realistas. Mostra uma biotoxina que devora pessoas em pouquíssimo tempo. Mulder infiltrado, armas biológicas, assalto a banco, seu roteiro poderia muito bem render um bom filme de suspense.



Episódio 19 - Folie à Deux (Loucura Coletiva): o episódio é centrado em um homem que trabalha em uma operação de telemarketing, e que tem um episódio de suposta loucura (esse trabalho deixa qualquer um doido, experiência própria). Ele acredita que seu chefe é um monstro que transforma seus colegas de trabalho em zumbis. Um episódio fantástico!



Episódio 20 - The End (O Fim): o season finale traz Gibson Praise, um garotinho que aparentemente é um prodígio. Em um torneio de xadrez, o seu oponente é assassinado em frente às câmeras, e a movimentação do garoto faz com que o Agente Mulder pense que ele não é apenas um prodígio, mas possuidor de poderes telepáticos. Um bom episódio com um gancho que pode ter deixado muitos telespectadores apreensivos quanto ao destino da série (mas já sabemos que ela continua e em breve teremos o review da 6ª temporada).



Nota geral: 7,0/10

Melhores episódios: 05, 12, 18, 19

Piores episódios: 07, 09

Episódios relacionados à mitologia: 01, 02, 06, 07, 13, 14, 20

“Monstros da Semana”: 04, 05, 08, 09, 10, 11, 12, 15, 16, 17, 18, 19

2 comentários