Review | Arquivo X - 9ª Temporada


Finalmente chegamos ao final, pelo menos antes das duas temporadas extras do revival (temporadas de 2016 e 2018). Atualmente a série completa está disponível no streaming Star+. Vale lembrar que este review evita o máximo possível de spoilers desta temporada, mas, obviamente, teremos spoilers das anteriores:


1ª temporada

2ª temporada

3ª temporada

4ª temporada

5ª temporada

Arquivo X - O Filme

6ª temporada

7ª temporada

8ª temporada


E como antes de todos os reviews, vamos a uma recapitulação do que aconteceu na 8ª temporada: ela começa com Mulder abduzido, Scully tem um novo colega nos Arquivos X, o Agente Doggett. No começo, a relação deles não é muito boa, mas com o tempo eles vão se entendendo, e Scully vê que Doggett não é um inimigo. E Scully está grávida e o pai é ninguém menos que Mulder, tudo fica explicado no episódio 13, “Per Manum”. E Mulder, por fim, acaba voltando da abdução praticamente morto, mas sobrevive.


Foi na 8ª temporada em que conhecemos os Supersoldados: um vírus toma conta do corpo humano e o reconstrói, tornando-o um híbrido alienígena de sangue vermelho (os outros têm sangue verde) e resistente a praticamente tudo. Billy Myles, o abduzido do episódio piloto da 1ª temporada, se torna um deles.


Apesar dos Supersoldados e todos empecilhos, Scully dá a luz a um bebê saudável chamado William (nome do pai de Mulder), com a ajuda da agente Monica Reyes, que se tornará personagem recorrente nesta última temporada.


Não esperem ver muito o Mulder, ele aparece mas pouquíssimo. Scully também está mais afastada. Doggett e Reyes agora são os personagens principais e a mitologia está focada nos Supersoldados.


Número de episódios: 20

Duração: 45 minutos

Início: 11 de novembro de 2001

Season finale: 19 de maio de 2002



Review completo de cada episódio:


Episódios 01 e 02 - Nothing Important Happened Today I & II (Nada Importante Aconteceu Hoje - Parte 1 e 2): neste início de temporada, o foco da mitologia é são os Supersoldados. Nos dois primeiros episódios temos a presença da supersoldado Shannon McMahon (Lucy Lawless, a eterna Xena, a Princesa Guerreira), e uma conspiração para a disseminação do tal vírus que transforma pessoas comuns em híbridos alienígenas. Aqui temos a primeira participação do diretor assistente Brad Follmer (Cary Elwes, o Dr. Lawrence Gordon de Jogos Mortais). Os 2 episódios iniciais são bem mornos e não empolgam. Na verdade, a própria mitologia dos Supersoldados não engrena muito bem, tendo muitos pontos baixos nesta temporada.



Episódio 03 - Dæmonicus (Demoníaco): primeiro monstro da semana. Os agentes se deparam com uma série de assassinatos aparentemente relacionados a rituais satânicos. Enquanto Reyes acredita que realmente há satanismo envolvidos nos crimes, Doggett está cético em relação a isso. Episódio razoável com participação de James Remar (também conhecido pelo papel de Harry Morgan, pai do serial killer da série Dexter).



Episódio 04 - 4-D (4-D): o episódio começa com os agentes no encalço de um criminoso. Reyes é morta (calma, não é spoiler) e Doggett é baleado. Após a abertura, Reyes está em seu apartamento e é visitada por Doggett, e durante a visita ela é informada que o agente, aquele mesmo presente no seu apartamento, havia sido baleado. Um episódio muito bom que aborda a distorção da realidade.



Episódio 05 - Lord of the Flies (O Senhor das Moscas): dois jovens estão gravando um programa nos moldes de Jackass, até que um deles morre de forma repentina e peculiar durante a gravação. O caso vai parar nas mãos dos agentes do Arquivo X, que concluem que insetos podem ter causado a morte do rapaz. É um episódio fraco e até bobo com seu toque cômico, mas não de todo ruim. Participação de Aaron Paul, o Jesse Pinkman de Breaking Bad.



Episódio 06 - Trust No 1 (Não Confie em Ninguém): de Trustno1 para Queequeg0925. É através de e-mail que Mulder entra em contato com Scully (a única que sabe de seu paradeiro) em mais um episódio relacionado ao bebê William e os Supersoldados. É um episódio fraquíssimo e cheio de suspense que promete, promete, e não entrega nada. Teremos respostas? Talvez… uma. Mais uma participação de Terry O’Quinn (o John Locke de Lost), que já apareceu na 2ª temporada como um policial no episódio “Aubrey”, e no filme de 1998 como o agente especial Michaud.



Episódio 07 - John Doe (Fulano): hora de colocar o filtro amarelo em ação! John Doggett acorda no México, sem documentos e sem memória, ele não sabe quem é e nem como chegou lá. Ele precisa de alguma forma descobrir sua própria identidade já que sua vida corre perigo. Muito bom!



Episódio 08 - Hellbound (Enviado Para o Inferno): após uma reunião de ex condenados, um deles é encontrado morto, aparentemente esfolado por inteiro enquanto ainda vivo, e ao que parece, crimes assim já aconteceram no passado. Seria um copycat ou o mesmo assassino está de volta? Um episódio razoável e sombrio.



Episódio 09 - Provenance (Procedência): o episódio se inicia com flashes de Biogênese (season finale da 6ª temporada) e de A Sexta Extinção (primeiro da 7ª), mostrando aqueles escritos da nave enterrada (com trechos da bíblia, alcorão, DNA humano, etc) e retomando a mitologia. O perigo está cada vez mais próximo do bebê de Scully.



Episódio 10 - Providence (Providência): a sequência do anterior começa com o relato de um veterano de guerra sobre uma visão que teve. Ele crê ter sobrevivido devido a intervenção de anjos, que na verdade são Supersoldados. Com isso, ele se torna o líder de um culto que acredita que esse anjos, os alienígenas, irão governar a Terra, e faz uma profecia que envolve William, Mulder e a nave enterrada. Enquanto o episódio anterior é bom, nesse a qualidade cai. Isso porque toda a mitologia envolvendo os Supersoldados entra em uma viagem maior ainda extrapolando os limites do absurdo.



Episódio 11 - Audrey Pauley (Audrey Pauley): a agente Reyes sofre um acidente de trânsito e se vê em um estado extracorpóreo presa em um hospital. A história, muito boa por sinal, poderia estar facilmente em alguma temporada de Além da Imaginação (é claro, com um toque de Arquivo X). Tracey Ellis, a atriz no papel Audrey Pauley, já participou da 3ª temporada no episódio “Oubliette”.



Episódio 12 - Underneath (Sob a Superfície): episódio morno sobre um suposto serial killer prestes a ser solto, tendo sido preso 8 anos antes pelo agente Doggett. Mistura sobrenatural e religião.



Episódio 13 - Improbable (Improvável): a agente Reyes recorre à numerologia para solucionar uma série de assassinatos, apesar do ceticismo de Scully. Um episódio bom, divertido, com humor e cheio de música. Participação especial do veterano e premiado Burt Reynolds, que dispensa apresentações.



Episódio 14 - Scary Monsters (Monstros Assustadores): a chatinha e empolgada agente Leyla Harrison (Jolie Jenkins), que esteve na temporada anterior no 9º episódio (“Sozinho”) recorre aos agentes do Arquivo X para solucionar a morte de uma mulher que aparentemente esfaqueou a si mesma. Ela acredita que o caso pertence aos Arquivo X, e que tem algo a ver com os monstros vistos pelo filho da mulher. Demora alguns minutos para engatar, mas depois fica bom.



Episódio 15 - Jump the Shark (Eles Nunca Morrem): antes de comentar sobre o episódio, precisamos fazer algumas considerações. Os Pistoleiros Solitários ganharam um spin-off em 2001 que durou apenas uma temporada e foi cancelado após 13 episódios, terminando com um “gancho”. Este episódio crossover, com a participação de Morris Fletcher (Michael McKean), o homem de preto que apareceu pela primeira vez no excelente episódio Dreamland da 6ª temporada, funciona como um ponto final na série d’Os Pistoleiros Solitários.


Aqui, Fletcher fala para os agentes Doggett e Reyes que tem informações a respeito dos Supersoldados, e alega que Yves Adele Harlow (Zuleikha Robinson), uma hacker que ajudou os Pistoleiros no passado, é uma deles. Os Pistoleiros, é claro, não acreditam, e o plot muda para uma ameaça com armas biológicas. O resultado é confuso para quem não assistiu o spin-off, não é um bom episódio e serve apenas para fechar mais alguns arcos.


Vale lembrar que não é a primeira vez que Arquivo X dá um final definitivo para outra série, o mesmo aconteceu com Millennium, a série criada por Chris Carter que foi exibida de 1996 a 1999, tendo seu final no 4º episódio da 7ª temporada de Arquivo X (mas com um resultado bem melhor).



Episódio 16 - William (William): um homem, terrivelmente acometido por cicatrizes, ataca John Doggett no escritório dos Arquivos X, e relata que William, o filho de Scully, está em perigo. Doggett e Reyes suspeitam que o homem misterioso possa ser Mulder, enquanto Scully está convicta que não. Um episódio voltado para a mitologia dos Supersoldados que não é de todo ruim, mas é difícil de engolir.



Episódio 17 - Release (Libertação): Rudolph Hayes (Jared Poe) é um cadete do FBI que dá palpites certeiros demais a respeito de alguns assassinatos, o que levanta suspeitas, mas o que o agente Doggett não sabe é que o jovem pode ter informações sobre o assassinato de seu filho ocorrido há 9 anos. Um episódio excelente (e bastante comovente) que fecha mais um arco.



Episódio 18 - Sunshine Days (Dias Alegres): no último monstro da semana, dois jovens curiosos invadem uma casa que seria o suposto cenário da série The Brady Bunch (no Brasil, A Família Brady, uma sitcom norte americana sobre uma família que foi ao ar de 1969 a 1974) e um deles sofre uma morte bem bizarra. Episódio bom com participação de Michael Emerson (Lost, Jogos Mortais).



Episódio 19 e 20 - The Truth (A Verdade): finalizando a temporada com o episódio duplo que marca a volta do agente Mulder, que invade uma base militar atrás da verdade e “mata” o Supersoldado Knowle Rohrer (Adam Baldwin). Com isso, Mulder é preso e levado a julgamento militar. Scully e Skinner tentam livrá-lo de uma execução, mas para isso precisam provar que Knowle Rohrer não morreu, mostrando evidências de uma conspiração alienígena que começa lá nos primórdios da humanidade e posteriormente com a queda do OVNI em Roswell. O episódio tem a participação de muitos personagens, incluindo alguns que já morreram, e faz um resumão de toda a mitologia.


Por um lado é um bom episódio, traz toda a mitologia que acompanhou a série desde o começo, dando vislumbres da saga de Mulder em sua busca pela verdade, mas por outro lado, sua conclusão parece vaga, como se faltasse alguma coisa. Não é insatisfatório, mas também não é muito memorável. Acaba, mas deixa um vazio, e não é pela ausência de respostas. Esse último episódio foi ao ar em 2002, a produção de Arquivo X foi o filme Eu Quero Acreditar em 2008, sem conexão com a mitologia, tema do próximo review relacionado à série.



Nota geral: 7,5/10

Melhores episódios: 04, 07, 11, 17

Piores episódios: 06, 15

Episódios relacionados à mitologia: 01, 02, 06, 09, 10, 16, 19, 20

“Monstros da Semana”: 03, 04, 05, 07, 08, 11, 12, 13, 14, 18



3 comentários

Posts Relacionados

Ver tudo