Review | Arquivo X - 8ª Temporada

Chegamos a mais um review de Arquivo X, desta vez cada vez mais próximos do fim. Vale lembrar que este review evita o máximo possível de spoilers desta temporada (o que vai deixar alguns textos um pouco vagos), mas, obviamente, teremos spoilers das anteriores:


1ª temporada

2ª temporada

3ª temporada

4ª temporada

5ª temporada

Arquivo X - O Filme

6ª temporada

7ª temporada


Antes de começarmos, vamos a algumas considerações: a 6ª temporada terminou com Mulder sendo abduzido, deixando de ser um personagem recorrente, e formando um novo arco com a gravidez de Scully. Vale lembrar que teve todo aquele rolo do David Duchovny processando a Fox, querendo deixar a série, portanto sua presença é bem menos recorrente. A 7ª seria a última temporada da série.


Mulder agora é substituído por John Doggett (Robert Patrick), um agente competente e um tanto cético. Ele irá se juntar a Scully nos Arquivos X. Também é nesta temporada que somos apresentados à agente Monica Reyes (Annabeth Gish) e conhecemos um novo elemento na mitologia. A temporada dá um novo fôlego à série, com uma primeira parte cheia de "monstros da semana” bem “monstruosos”, por assim dizer, e uma segunda mais dedicada à mitologia, em especial, à nossa dupla de agentes favorita.


Número de episódios: 21

Duração: 45 minutos

Início: 05 de novembro de 2000

Season finale: 20 de maio de 2001



Review completo de cada episódio:


Episódio 01 - Within (Por Dentro): nesse início, vemos o FBI se organizando em uma busca por Mulder. Scully é apresentada ao agente Doggett, e embora ele se mostre solícito com ela, a agente desconfia de suas intenções, se comportando até de modo bem rude com ele (tudo bem, Scully, a gente entende). E temos a participação de um personagem antigo, lembram do Gibson Praise (Jeff Gulka), a criança prodígio da 5ª e 6ª temporadas? Ele é uma figura importante para a mitologia da série e dá as caras novamente.



Episódio 02 - Without (Por Fora): as buscas continuam com Scully, Doggett e Skinner. Um Caçador de Recompensas (aqueles aliens que mudam de forma e têm sangue verde, que aparecem desde a 2ª segunda temporada). Em suma, os dois primeiros episódios são muito bons, dão um gostinho do que virá a seguir em relação à mitologia, mas antes disso teremos vários “monstros da semana” seguidos.



Episódio 03 - Patience (Paciência): Scully e Doggett agora estão trabalhando juntos nos Arquivos X, mas ela ainda não é muito receptiva ao novo colega. A dupla vai até Idaho investigar mortes misteriosas cometidas por uma estranha criatura que voa. É interessante ver nesse novo arco como Scully se comporta bem mais como Mulder, acreditando mais no sobrenatural depois de todos esses anos juntos, e como Doggett se parece com a Scully das primeiras temporadas, tendo seu ceticismo testado. Bom episódio.




Episódio 04 - Roadrunners (Risco de Vida): o assassinato de um mochileiro leva Scully (sozinha) até Utah. Ela vai parar em uma pequena e solícita comunidade no meio do deserto, mas os habitantes formam uma seita bem peculiar. É um ótimo episódio com um toque de body horror.



Episódio 05 - Invocation (Invocação): Billy Underwood (Kyle Pepi e Ryan Pepi) é um garotinho de 10 anos que desapareceu em 1990. Dez anos depois, sua mãe é chamada até a escola onde ele estudava pois o menino reapareceu, porém sem nenhum sinal de envelhecimento. Nesse meio tempo, os Underwood tiveram outro filho, agora com a mesma idade do garoto desaparecido, e levam o suposto Billy de volta para casa, onde ele apresenta comportamentos bem estranhos. Scully e Doggett vão até Oklahoma investigar o caso. Bom episódio.



Episódio 06 - Redrum (A Segunda Chance): para quem lembra de O Iluminado (livro do Stephen King e adaptação cinematográfica de Stanley Kubrick), Redrum é a palavra murder (assassinato) ao contrário, que aparece diversas vezes na obra. Porém, este episódio não tem nada a ver com Stephen King e seus fantasmas. A história gira em torno do promotor Martin Wells (Joe Morton), que acorda em uma cela de prisão sem entender o que aconteceu e como chegou lá. Ele se vê preso em um loop temporal, e pede ajuda ao seu amigo Doggett para entender, e possivelmente evitar, as circunstâncias que o deixaram nessa situação. É a segunda vez que o loop temporal aparece na série, o outro episódio é o Monday, 14º da sexta temporada. É um bom episódio em que Doggett e Scully são meros coadjuvantes, e que conta com a participação de Danny Trejo. E uma curiosidade: o ator Joe Morton e Robert Patrick trabalharam juntos no filme O Exterminador do Futuro 2.



Episódio 07 - Via Negativa (Via Negativa): dois agentes do FBI estão investigando uma casa, quando um deles adormece dentro do carro, e ao acordar, vê que a porta da casa está aberta. Ao entrar, ele vê diversos corpos e é atacado por um homem com um terceiro olho na testa, armado com um machado. Cabe ao agente Doggett investigar a situação, já que Scully, que ainda esconde a gravidez, está cuidando da saúde. Um bom episódio sangrento envolto em uma aura mística.



Episódio 08 - Surekill (Morte Certa): o episódio se inicia com um homem dentro de uma cela completamente fechada sendo atingido por uma bala. Scully e Doggett descobrem que a bala entrou pelo duto de ar, mas como isso é possível? A investigação leva a dupla a dois irmãos que dirigem uma empresa de extermínio de pragas. O episódio se inicia bem, mas parece se perder e tem um resultado fraco. O primeiro ponto realmente baixo nesta temporada.



Episódio 09 - Salvage (O Homem de Aço): este episódio foi inspirado no filme japonês Tetsuo: The Iron Man, de 1989. Um homem morto pela síndrome da guerra do golfo aparentemente não está tão morto assim, e possui uma força indestrutível. Um episódio fraquíssimo com uma ideia boa mas mal executada, vale por uma interação engraçadinha entre Doggett e Scully, em que ele insinua algo sobre um homem com metal em seu corpo apenas existir em filmes e a agente responde “É mesmo, agente Doggett?” (para quem não lembra, o ator Robert Patrick interpretou um homem de metal em Exterminador do Futuro 2).



Episódio 10 - Badlaa (O Vingador): a história se inicia com um empresário obeso em um aeroporto na Índia, que tenta se livrar de um mendigo e depois, de uma forma peculiar, é atacado por ele. Badlaa significa vingança em hindu, e a inspiração para a narrativa vem de histórias sobre faquires indianos. O vilão, o mendigo indiano, interpretado por Deep Roy (mais conhecido como os Oompa Loompas do remake de A Fantástica Fábrica de Chocolates de 2005), não tem pernas e se locomove em um carrinho, a forma com que foi retratado foi considerada como xenófoba por alguns críticos, e assustadora por outros. É um episódio razoável e bem sangrento.



Episódio 11 - The Gift (O Dom): de quem são as credenciais que aparecem na abertura deste episódio? Dele mesmo, nosso querido Mulder. A história traz flashbacks do agente e alguns elementos sobre sua abdução, e tem como inspiração a lenda judaica do Golem. É um bom episódio, mas ainda não traz muitas respostas sobre Mulder.



Episódio 12 - Medusa (Medusa): há algo no metrô de Boston corroendo e matando pessoas, e que precisa ser investigado por Scully e Doggett. Enquanto a agente grávida acompanha e auxilia a investigação na superfície, o agente Doggett adentra os túneis e encara de frente a ameaça invisível. Novamente as credenciais de Mulder são omitidas da abertura, afinal este é só mais um “monstro da semana”, mas é um episódio razoável que antecede nada menos do que quatro episódios seguidos da mitologia (todos ótimos).



Episódio 13 - Per Manum (Enganação): episódio importante na mitologia que mistura presente e passado. Nele, descobrimos mais sobre a gravidez de Scully e uma possível conspiração para a criação de bebês híbridos entre aliens e humanos. Aqui temos a primeira aparição de Knowle Rohrer (Adam Baldwin), velho amigo de John Doggett, e a partir daqui, a volta de alguns personagens antigos. As credenciais de Mulder voltam a aparecer nos créditos iniciais. Será um bom sinal?



Episódio 14 - This Is Not Happening (Isso Não Está Acontecendo): o melhor episódio da temporada. Nele, somos apresentados à agente Monica Reyes (Annabeth Gish) que terá um papel fundamental no enredo daqui em diante. No estado de Montana, um homem em um carro persegue um suposto OVNI, e acaba encontrando o corpo de uma mulher nua em posição fetal. A mulher, que sobrevive, é ninguém menos que Theresa Hoese (Sarah Koskoff), uma das abduzidas no episódio piloto da série e que posteriormente foi abduzida junto com Mulder no final da sétima temporada.



Episódio 15 - Deadalive (Morto Vivo): aqui teremos mais perguntas e mais respostas sobre o que realmente aconteceu com Mulder. Mas, Skinner, vem cá, negociar com Krycek é realmente uma boa ideia? E Billy Miles (Zachary Ansley), o que aconteceu com ele?



Episódio 16 - Three Words (Três Palavras): no início do episódio vemos um homem tentando invadir a Casa Branca, é essencial que ele fale com o presidente, pois há uma terrível ameaça sobre os Estados Unidos. O homem é morto, e em sua mão, um pequeno disco com os dizeres FIGHT THE FUTURE (“combata o futuro”). Doggett precisará da ajuda dos Pistoleiros Solitários.



Episódio 17 - Empedocles (Empédocles): uma pausa na mitologia para o penúltimo “monstro da semana”, cujo tema é satanismo. Monica Reyes tem mais destaque e descobrimos mais um pouco sobre o passado do agente Doggett. Participação de Denise Crosby (a Rachel Creed de Cemitério Maldito, 1989). Episódio fraco mas com alguns pontos positivos.



Episódio 18 - Vienen (Eles Vêm): no Golfo do México, em uma plataforma de petróleo, enquanto os trabalhadores estão reunidos, Simon de la Cruz (Luis Villalta) esfaqueia um colega e destrói o equipamento de comunicação. Ele é confrontado por Bo Taylor (M. C. Gainey), cujo corpo começa a brilhar intensamente, e dias depois, o cadáver de de la Cruz é encontrado com diversas queimaduras relacionadas à radiação. Voltamos a ver o óleo negro e um novo arco na mitologia está se formando. Excelente.



Episódio 19 - Alone (Sozinho): o último “monstro da semana” da temporada é praticamente uma homenagem à série. Scully está prestes a tirar a licença-maternidade, e ao revirar uma caixa encontra várias lembranças como as duas moedas fundidas do episódio Dreamland (6ª temporada), a medalha da Apollo 11 dada por Mulder no episódio Tempus Fugit (4ª temporada), e a plaquinha do cachorrinho Queequeg, dado a ela no episódio Clyde Bruckman's Final Repose e que tem um final infeliz em Quagmire (ambos da 3ª temporada). Com Scully afastada, uma nova agente é designada para trabalhar ao lado de John Doggett, a jovem e entusiasmada Leyla Harrison (Jolie Jenkins). Juntos eles investigam o ataque de uma criatura reptiliana. É um bom episódio que vale pela nostalgia.


Episódio 20 - Essence (Essência): enquanto Scully está em seu chá de bebê, um laboratório é atacado e incendiado por ninguém menos que Billy Miles (mas será ele mesmo?). Uma conspiração pode ameaçar a vida de Scully e seu bebê, e a agente Reyes irá ajudá-la.



Episódio 21 - Existence (Existência): finalizando a temporada com chave de ouro, Existence se inicia de forma ótima mostrando mais sobre os tais Super Soldados, o novo elemento da mitologia, e termina com uma belíssima cena. Esses dois últimos episódios foram escritos por Chris Carter e dirigidos por Kim Manners, excelentes!



Nota geral: 8,5/10

Melhores episódios: 01, 02, 04, 06, 07, 14, 15, 18, 20, 21

Piores episódios: 08, 09

Episódios relacionados à mitologia: 01, 02, 11, 15, 16, 18, 20, 21

“Monstros da Semana”: 03, 04, 05, 06, 07, 08, 09, 10, 12, 13, 14, 17, 19




2 comentários

Posts Relacionados

Ver tudo
Untitled design_edited.png