Review | Arquivo X - 6ª temporada

Atualizado: 20 de Set de 2021

Depois de um hiato entre as postagens sobre essa série incrível, voltamos com força total maratonando todas temporadas restantes. Se você perdeu os reviews anteriores, segue a lista:



Mas antes de iniciar esse review, um breve resumo: a 5ª temporada termina com Gibson, o menino prodígio capaz de ler mentes, em poder do governo. A sala dos Arquivos X é incendiada e os arquivos encerrados, e aí temos o filme lançado em 1998 que funciona como um gancho entre a 5ª e 6ª temporadas. Ao fim do filme, os Arquivos X são reabertos.


Agora vamos aos episódios dessa sexta temporada, que mudou um pouco em relação às anteriores. Pouquíssimos episódios são conectados à mitologia, e não são muitos os que seguem a fórmula clássica dos "Monstro da Semana". Vários deles têm um tom cômico e até romântico (o que não significa que são ruins).


Vale comentar que foi a primeira temporada filmada em Los Angeles (antes as filmagens eram no Canadá). Lembrando que esse post não tem spoilers dessa temporada, mas claramente terá das anteriores.


Número de episódios: 22

Duração: 45 minutos

Início: 08 de novembro de 1998

Season finale: 16 de maio de 1999


Review completo de cada episódio:


Episódio 01 - The Begining (O Princípio): lembram do Gibson Praise, o garotinho que aparece no final da 5ª temporada e tem a habilidade de ler mentes? Ele está de volta, e será usado pelo governo para localizar uma entidade alienígena fora de controle. Mulder e Scully já não podem mais trabalhar nos Arquivos X, e no lugar deles estão os agentes Jeffrey Spender e Diana Fowley (ambos apresentados na temporada anterior). Mais da mitologia, mais óleo negro e uma bela caçada alienígena. Começou bem!


Episódio 02 - Drive (Dirija): dez anos antes de encarnar Walter White em Breaking Bad, o ator Bryan Cranston fez uma participação em Arquivo X. Logo no início vemos uma perseguição em uma rodovia (exatamente daquele jeito mostrado pelas TVs americanas), o que parece ser um caso de sequestro. Até que o carro consegue ser parado e uma ocupante do banco de trás bate sua cabeça contra o vidro até que BUM! O motorista (Cranston) é preso, mas logo consegue fugir e de fato sequestra Mulder, fazendo-o dirigir continuamente. Uma parada pode ser fatal. É um bom episódio.


Episódio 03 - Triangle (Triângulo): Mulder recebe uma informação extra oficial sobre um navio desaparecido em 1939 no Triângulo das Bermudas e vai lá investigar, sozinho! Ele acorda no meio do mar e é resgatado por um navio, cujos ocupantes lhe informam que estão no ano de 1939, e desconfiam que Mulder seja um espião nazista. Entre britânicos e alemães, o agente do FBI se encontra com versões alternativas de seus companheiros de trabalho. Que Scully salve o dia! É um episódio interessantíssimo, o primeiro dessa temporada a mostrar um tom mais cômico e romântico (com direito a beijocas entre alguns personagens), e filmado em tempo real com takes bem longos, ao estilo Hitchcock em Festim Diabólico.


Episódio 04 - Dreamland (Terra dos Sonhos Parte 1): Mulder e Scully estão a caminho da Área 51 para encontrar um informante. Eles são parados por agentes locais, e de repente, uma aeronave passa por eles, fazendo com que Mulder troque de corpo com Morris Fletcher (Michael McKean) um dos "homens de preto". Apenas os dois personagens têm a consciência da troca, o que resulta em várias situações divertidíssimas. Esse é disparado um dos meus favoritos de todas temporadas (junto com o 19 que aparece mais abaixo na lista).


Episódio 05 - Dreamland II (Terra dos Sonhos Parte 2): Mulder e Fletcher continuam com os corpos trocados, mas o fenômeno que os atingiu também fez outras vítimas: pessoas, animais, objetos. Uma ótima continuação!


Episódio 06 - How the Ghosts Stole Christmas (Como os Fantasmas estragaram o Natal): é véspera de Natal, e como sabemos, Mulder não é o rei da vida social, e então ele resolve levar Scully para dar uma olhada em uma casa assombrada. Não demora muito para que a dupla se encontre presa dentro da casa, e se deparem com seus habitantes. É um episódio criativo e bonitinho, a ambientação e trilha sonora são uma delícia. Participação especial da maravilhosa atriz Lily Tomlin e do veterano Ed Asner.


Episódio 07 - Terms of Endearment (Laços de Ternura): Hail to the king, baby! Bruce Campbell, o eterno Ash da trilogia The Evil Dead, encarna o Diabão nesse episódio, que se inicia com uma mulher grávida em meio às chamas, com um demônio arrancando seu bebê à força. Ela acorda e sua cama está cheia de sangue, e o bebê que estava em sua barriga sumiu. Mulder e Scully vão investigar o caso. É um episódio bom, e tem Garbage na trilha sonora.


Episódio 08 - The Rain King (A Dança da Chuva): Mulder e Scully vão até uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos que é assolada pela seca. Seus habitantes recorrem a um homem que (supostamente) é capaz de fazer chover. É um episódio razoável, mas é mais um nessa sequência que mistura romance e comédia, o que acaba se tornando um pouco cansativo.


Episódio 09 - S.R. 819 (S.R. 819): OK, finalmente voltamos à mitologia. Skinner desmaia durante um treino de boxe, e enquanto está no hospital recebe uma ligação anônima que informa que tem apenas 24 horas de vida. Seu corpo foi infectado com um organismo desconhecido, e Scully e Mulder têm que correr contra o relógio para salvar sua vida. Conspirações do governo e a aparição de um antigo personagem marcam esse bom episódio.


Episódio 10 - Tithonus (Tithonus): na mitologia grega, Tithonus pediu a Zeus a vida eterna, mas sem pedir também a juventude eterna, envelhecendo cada vez mais. Nesse episódio, Alfred Fellig (Geoffrey Lewis) é um fotógrafo que trabalha para a polícia de Nova York, mas ele sempre parece estar no lugar certo e na hora certa. Scully é designada para trabalhar com um novo agente e investigar o caso. O clima em geral é bem sombrio, e é um dos pontos altos dessa temporada.


Episódio 11 - Two Fathers (Dois Pais Parte 1): vamos voltar um pouco à 5ª temporada, mais especificamente ao episódio 13, A Paciente X, onde somos apresentados à Cassandra Spender, mãe do agente Spender. Nesse episódio e em sua continuação, temos várias informações importantes em relação aos alienígenas rebeldes, os aliens colonizadores e o óleo negro.


Episódio 12 - One Son (Um Filho Parte 2): continuação do anterior, cheio de revelações e a aparição de mais um personagem antigo. Aqui conhecemos um pouco mais sobre o plano de colonização do qual o Canceroso e o pai de Mulder fizeram parte. Vale a pena assistir os dois em sequência (sendo esse ainda melhor que o anterior).


Episódio 13 - Agua Mala (Perigo vem da Água): os agentes vão até a Flórida, em meio a passagem de um furacão, investigar o desaparecimento de duas pessoas atacadas dentro de casa por algo com tentáculos. Teria sido melhor se o roteirista não tivesse perdido a mão e criado personagens tão irritantes para dar algum alívio cômico.


Episódio 14 - Monday (Segunda-feira): nesse episódio, Mulder acorda atrasado e vai ao banco onde está prestes a ocorrer um assalto. O problema é que ele e todos envolvidos estão presos em um loop temporal, que faz com que a situação se repita todos os dias. A única pessoa que têm consciência desse loop, tenta revertê-lo a cada dia alertando os agentes. O tema é interessante, já foi abordado em diversos filmes como A Morte te dá Parabéns e Corra Lola Corra (que provavelmente serviu de inspiração para esse episódio) resultando em um ótimo episódio.


Episódio 15 - Arcadia (Arcadia): mais um ponto alto na temporada, um Monstro da Semana com M maiúsculo. Mulder e Scully fingem ser um casal de recém casados, que se muda para um condomínio fechado onde ocorreram mortes misteriosas. A pequena comunidade parece ser acolhedora à princípio, mas não seguir à risca suas regras pode trazer sérias consequências aos infratores.


Episódio 16 - Alpha (Alfa): um cão está sendo transportado de navio de Hong Kong até os EUA, ao atracar, os funcionários do porto percebem que o animal fugiu e matou dois funcionários. Mulder recebe o contato de uma especialista em comportamento canino para que investigue o caso, e Scully passa a desconfiar dos verdadeiros motivos dessa mulher. A única coisa boa desse episódio é quando termina (e Mulder ganha um novo pôster do "I WANT TO BELIEVE", já que o original foi queimado em sua sala dos Arquivos X).


Episódio 17 - Trevor (Trevor): os condenados de uma prisão no Mississipi estão a fortificando para a passagem de um tornado, mas um incidente faz com que um dos prisioneiros fique em uma pequena barraca durante o fenômeno. Quando o tornado passa, os carcereiros verificam que o prisioneiro sumiu e encontram o diretor da prisão morto de forma insólita. Sabe-se lá por qual motivo, o homem virou praticamente um X-Men e consegue agora atravessar objetos sólidos e fazer muito estrago. Razoável.


Episódio 18 - Milagro (Milagro): como eu já comentei em algum review anterior, qualquer tentativa de forçar um romance "verdadeiro" na série, me faz explodir de vergonha alheia e ter vontade de enfiar a cabeça em um buraco. Aqui, sem entender como ou porque, Scully se encanta com um escritor que é vizinho de Mulder. Esse mesmo tema foi abordado em Never Again (13 da 4ª temporada), e é o que me faz detestar ambos episódios. O que faz de Milagro não ser totalmente ruim, é o aspecto religioso e sobrenatural que apresenta, e sua conclusão é satisfatória.