• Cultista

Quebra de Confiança - Harlan Coben (resenha)

Eu li algumas obras de Harlan Coben há alguns anos e me lembro de ter gostado, então resolvi refazer a experiência só que dessa vez relendo na ordem correta, e de acordo com as séries de livros publicados.


O primeiro livro do autor, Quebra de Confiança, foi publicado em 1995 e pertence à série do personagem Myron Bolitar, um agente esportivo e investigador nas horas vagas. A história gira em torno de Kathy Culver, uma jovem que após 18 meses de seu desaparecimento, tem uma foto publicada em uma revista pornográfica.



Um dos principais suspeitos é Christian Steele, cliente de Myron e jogador de futebol americano em ascenção (além de ser ex noivo de Kathy). Jessica Culver, irmã da desaparecida e ex namorada de Myron, e Win Lockwood, bilionário excêntrico e melhor amigo do protagonista, completam o time investigativo que se aprofunda em uma trama nos submundos da pornografia.


A leitura seria fluida se o autor não insistisse em encher a narrativa de personagens supérfluos e tramas secundárias que não acrescentam absolutamente nada ao enredo. Um livro com menos de 300 páginas, apesar de rápido e fácil de ler, acaba se tornando maçante em alguns momentos devido ao excesso de personagens e situações totalmente desnecessárias.


De qualquer forma, não é uma leitura desagradável em sua totalidade, a história tem um bom suspense com leves toques de humor (leia o trecho abaixo em que o protagonista demonstra todo o ódio em relação ao próprio nome).


"Myron. Que droga de nome horroroso. Ele o odiava com todas as forças. Tinha nascido com todos os dedos das mãos e dos pés, não mancava, não tinha lábio leporino nem orelha de abano - assim, para compensar a falta de infortúnio, os pais lhe deram o nome de Myron."


Aliás, a inverossimilhança da existência de Myron Bolitar me causou um leve desconforto. O indivíduo consegue ser um ex jogador promissor de basquete que sofreu um acidente (e por consequência abandonou a prática esportiva), ex agente do FBI, atualmente um agente esportivo de sucesso, tudo isso aos 31 anos e ainda morando com os pais. O nome absurdamente ridículo fica sendo apenas um detalhe.


Por se tratar da primeira obra de Coben, pretendo ler mais alguns de seus livros e ver se a mesma fórmula é seguida (torcendo para que sejam melhores que isso), entretanto não é um livro que eu mesma recomendaria (nem para a minha chinchila roer).


Quebra de Confiança

Ano: 2011

Páginas: 272

Idioma: português

Editora: Arqueiro