• Cultista

A Casa no Limiar e outras histórias macabras - William Hope Hodgson (resenha)

Pela primeira vez venho resenhar um livro não somente como leitora, mas como tradutora. Ano passado tive o enorme prazer em traduzir esta obra para a Editora Diário Macabro que hoje está em pré venda.


O romance A Casa no Limiar foi publicado pela primeira vez em 1908, e é uma obra de terror sobrenatural. Ele começa com dois amigos que vão até um remoto vilarejo irlandês para passarem suas férias pescando. Explorando um amontoado de ruínas no local, eles encontram um manuscrito, uma espécie de diário de um autor desconhecido, em que relata os acontecimentos sobrenaturais pelos quais passa.



O autor, aqui referido apenas como "Recluso", conta como adquiriu a casa e como vem passando seus dias ao lado de sua irmã, Mary, e seu fiel cão Pepper, até que acontecimentos estranhos começam a abalar sua rotina. Ele vê sua propriedade sendo atacada por criaturas que parecem um híbrido de humanos e porcos, com faces suínas em corpos humanoides, portando imensas garras. Além dos ataques das criaturas, o Recluso passa por diversas experiências interdimensionais além de seu corpo físico.


É uma obra fantástica que faz o leitor viajar junto com o narrador, tendo inspirado diversos escritores. Também foi elogiada pelo próprio H.P. Lovecraft em seu ensaio Horror Sobrenatural na Literatura:


"Talvez o maior de todos os trabalhos de Mr. Hodgson -- fala sobre uma casa solitária e maldosamente considerada na Irlanda, que forma um foco para forças medonhas de outro mundo, e sustenta um cerco por blasfemas anomalias híbridas vindas de um abismo inferior escondido. Os passeios do espírito do Narrador através de ilimitados anos luz do espaço cósmico e éons da eternidade, e seu testemunho da destruição final do sistema solar, constituem algo quase único na literatura padrão."


Além desse romance, a edição conta com mais duas histórias de Hodgson: A Deusa da Morte e O Experimento Baumoff. Enquanto o autor é bastante conhecido por suas narrativas náuticas (a exemplo disso, o conto A Voz na Noite que foi publicado na Revista Diário Macabro nº 05, também traduzido por mim) e histórias de seu detetive fictício, essas duas obras destoam bastante do resto de seus escritos.


A Deusa da Morte é um conto publicado pela primeira vez em 1904, e mostra uma vila na França aterrorizada por uma estátua de mármore da deusa hindu Kali, que aparentemente toma vida e é responsável por duas mortes por estrangulamento. Cabe ao cético narrador investigar o que está causando o caos entre os moradores locais. Essa foi a primeira história publicada por Hodgson, e é um conto breve e instigante.


O Explosivo Baumoff é um dos contos mais impactantes que já li na vida. A história começa com uma discussão entre amigos sobre um possível explosivo novo que causou uma espécie de escuridão na noite anterior em uma cidade da Alemanha. A partir disso, um dos homens se identifica como amigo do criador do tal "explosivo", e narra como foi testemunha de um experimento incomum.


Tal experiência é realizada por um cientista e cristão fervoroso, que acredita ser capaz de replicar os eventos seguintes à crucificação de Cristo, através de bases científicas, sendo uma delas a conhecida "escuridão da crucificação". É um texto que mistura ciência e religião, e seu resultado é nada menos do que assombroso.


Completando a edição, seu prefácio foi escrito pelo Dr. Alcebiades Diniz Miguel, especialista em literatura de terror, e o posfácio pelo autor e cineasta inglês Iain Sinclair. O livro está em pré venda e está sendo finalizado com todo cuidado por essa editora fantástica.


Adquira já o seu: https://diariomacabro.lojaintegrada.com.br/limiar