• Cultista

Filme: Frankenstein - O Monstro das Trevas (1991)

Roger Corman é um diretor, roteirista e ator norte americano conhecido por seus trabalhos em filmes B, e por suas adaptações de contos de Edgar Allan Poe. Corman tem em seu currículo a direção de 55 filmes e a produção de 385 entre 1954 a 2008. Frankenstein - O Monstro das Trevas (1991) é o seu último trabalho como diretor, no qual também assina o roteiro.



Neste filme, passado, presente, ficção e realidade se misturam. Em um futuro próximo, o Dr. Joseph Buchanan é um cientista em busca do desenvolvimento de uma arma poderosa que acaba causando grandes efeitos colaterais no clima, o que ocasiona uma viagem no tempo para o pesquisador.


Dr. Buchanan chega à Suíça de 1817, onde conhece Victor Frankenstein, e tenta alertá-lo sobre o perigo de seu trabalho (a criação da vida em um ser humano através da morte). Tempos depois, o irmão de seis anos de Frankenstein é morto, e durante o julgamento da suposta assassina do garoto, o cientista conhece Mary Godwin, a verdadeira escritora de Frankenstein antes de se casar e adotar o sobrenome Shelley. Desenrola-se o caso em torno de Victor Frankenstein e sua criação, servindo de inspiração para a obra da autora, mesclando-se com personagens reais como Lord Byron e Percy Bysshe Shelley (futuro marido de Mary).


O título em inglês do filme, Frankenstein Unbound (Frankenstein Liberto, em tradução livre), é uma combinação dos nomes de obras de Mary e Percy Shelley: Frankenstein, ou o Prometeu Moderno (1818) e Prometheus Unbound (1820). A obra cinematográfica traça os paralelos da ciência, primeiro com o Dr. Buchanan mostrando sua arma, e depois com Victor Frankenstein e a criação de seu monstro, ambas concepções grandiosas porém com efeitos colaterais devastadores.


Criador e criatura

O filme tem uma média de 5,5 no IMDb, e conta com Raul Julia, Bridget Fonda, John Hurt, Jason Patric e Michael Hutchence (falecido vocalista do grupo pop INXS) em seu elenco. Frankenstein - O Monstro das Trevas não foi muito bem recebido pela crítica e público, arrecadando apenas 335 mil dólares de bilheteria.


Corman tentou fazer uma releitura do clássico de Mary Shelley misturando elementos de ficção científica adicionais ao original, porém o resultado final é um filme de roteiro fraco e confuso. A criatura foi retratada de modo tão futurista (apesar de estar no século XIX) e alienígena que poderia ser facilmente colocada em um episódio de Star Trek. Outro ponto negativo é a representação de uma Mary Shelley promíscua de modo desnecessário. Definitivamente, não é o melhor filme de Roger Corman e nem a melhor versão de Frankenstein.



Fontes:

Mary Shelley Wikia

Wikipedia: Frankenstein Unbound