• Cultista

A Profecia - David Seltzer (resenha)

Uma das minhas leituras recentes foi A Profecia, de David Seltzer, e comecei bem empolgada porém me decepcionei um pouco ao saber que não era uma obra que tinha gerado a franquia, e sim uma romantização do primeiro filme lançado em 1976.



No enredo de ambos (filme e livro), em Roma, a esposa do diplomata americano Robert Thorn dá a luz à uma criança que nasce morta, e é incentivado por um padre a adotar um bebê órfão nascido no mesmo dia.


Anos depois, Thorn é designado a embaixador dos Estados Unidos no Reino Unido, e a partir disso começam estranhos acontecimentos envolvendo seu filho Damien, como o suicídio dramático da babá na frente de dezenas de convidados presentes em seu aniversário de cinco anos. A verdade é que o pequeno garoto é fruto de uma seita satânica, e que ao crescer se tornará “o Anticristo”.



As diferenças entre a obra cinematográfica e a escrita são pouquíssimas, o livro conta com apenas algumas mudanças (como o cachorro Rottweiler no filme, e Pastor Alemão no livro), e a adição de alguns detalhes à trama. É uma leitura rápida (conta com aproximadamente 200 páginas), porém repetitiva para quem já assistiu o filme muitas vezes.


A família Thorn do filme de 1976

O autor David Seltzer também escreveu o roteiro do filme, e a romantização foi lançada após dois finais de semana de exibição de previews ao redor do mundo como estratégia de marketing (a mesma adotada no ano anterior pelo estúdio de Tubarão, filme de Steven Spielberg). Como resultado, as cópias do livro se esgotaram em apenas três horas em Nova York e Los Angeles, e o filme teve a 5ª maior bilheteria no ano de 1976 nos Estados Unidos.


O filme foi dirigido por Richard Donner (Os Goonies, Máquina Mortífera), e recebeu diversas indicações em premiações. A trilha sonora, composta por Jerry Goldsmith, ganhou o Oscar em 1977, a música “Ave Satani” foi indicada a Melhor Canção Original.



A Profecia ganhou mais três sequências, sendo a última delas com uma protagonista feminina, e um remake de mesmo nome lançado em 2006.


Não há nenhuma publicação nacional recente do livro, este já foi publicado em 1976 pela Editora Record, e em 1981 pelo Círculo do Livro. As edições ainda podem ser encontradas em lojas virtuais ou em sebos.



Fontes:

Wikipedia - The Omen

The New American Cinema, editado por Jon Lewis (Duke University Press, 1998)