• Mimi Zanetti

Dagon - H.P. Lovecraft (análise)

Contém spoilers sobre o conto


"Dagon" é um conto de H.P. Lovecraft escrito em 1917 e publicado pela primeira vez em 1919 na revista The Vagrant.


A história traz um narrador viciado em morfina à beira do suicídio que conta como foi capturado por uma embarcação de alemães durante a Primeira Guerra Mundial e escapou cinco dias depois, chegando a uma ilha ancestral ressurgida de uma erupção vulcânica.


Na ilha, o narrador se depara com um lodo negro ao redor, um forte cheiro de peixe e estranhamente a ausência de sons. Ao explorar o local por alguns dias, ele encontra um enorme monólito com hieróglifos peculiares que retratavam elementos marinhos, alguns deles desconhecidos, incluindo uma espécie humanóide-anfíbia. A maior das figuras retratadas aparecia matando uma baleia, sendo um pouco maior do que o animal.



O causador de sua loucura é uma gigantesca entidade com braços escamosos que sai do oceano e se agarra ao monumento. O narrador foge do local aos gritos e risos (mostrando a insanidade causada por tal visão), passa por uma grande tempestade e acorda dias depois em um hospital em São Francisco.


“Então, de repente, eu vi. Com apenas uma leve agitação para marcar sua ascensão até a superfície, a coisa deslizou para fora das águas escuras. Tão vasto quanto Polifemo e horrendo, ele dardejou, como um estupendo monstro de pesadelos, contra o monólito, sobre o qual lançou seus gigantescos braços escamosos, enquanto curvava a cabeça hedionda e dava vazão a certos sons compassados. Naquele momento, pensei ter ficado louco.”


O conto é frequentemente citado não como parte integrante dos Mitos de Cthulhu mas como uma obra que pré apresenta a ideia das deidades cósmicas. Nele, há características marcantes no estilo do autor, como a presença de monólitos descritos como “ciclópicos” e a loucura que impregna seus personagens à vista de tão insólitas entidades.


Dagon é o nome de uma antiga deidade dos filisteus na Mesopotâmia, adorada como o deus da fertilidade e mencionada na Bíblia. Seu nome é associado à palavra “peixe” do idioma canaanita/hebreu.


Nos Mitos de Cthulhu, Dagon também é conhecido como Father Dagon (Pai Dagon) e é companheiro de outra deidade, Mother Hydra (Mãe Hydra). Na novela “A Sombra Sobre Innsmouth” do mesmo autor, há o culto “Ordem Esotérica de Dagon”, o que liga as duas obras.



Em seu artigo The Real Father Dagon, o escritor Robert M. Price sugere que Dagon pode ser apenas um outro nome para ser referir a Cthulhu, sendo o conto um protótipo para “O Chamado de Cthulhu”. Entretanto, conforme a organização dos Mitos de Cthulhu por August Derleth e autores subsequentes a Lovecraft, Dagon é um dos Grandes Antigos. Em “Dagon”, a criatura é vagamente descrita, ganhando forma anfíbia definitiva em obras posteriores.


Fontes:

Wikipedia - Dagon (short story)

Wikipedia - Dagon

The H.P. Lovecraft Wiki - Dagon

Lovecraft Studies - Vol IV, nº 2 (1985)

The Real Father Dagon - Robert M. Price