• Cultista

A Besta na Caverna - H.P. Lovecraft (análise)

Alerta de spoilers! Este post contém a análise do conto, uma HQ e um curta, e por fim, os scans do rascunho original.


O primeiro rascunho de "The Beast in the Cave" foi escrito em 1904, sendo finalizado por Lovecraft em 1905 quando tinha apenas 14 anos. O conto foi publicado pela primeira vez em 1918 na revista amadora The Vagrant.


A história é narrada em primeira pessoa por um homem que se aventura nas cavernas do Parque Nacional de Mammoth Cave (Kentucky, Estados Unidos) e acaba se perdendo de seu guia. Quando a luz de sua lanterna se apaga, o protagonista se vê em uma imensidão de cavernas desconhecidas completamente no escuro. Ele grita a plenos pulmões na esperança de ser encontrado, e para seu terror, começa a ouvir passos do que parece ser um quadrúpede se aproximando.


Desarmado e sem ter como se defender apropriadamente, ele começa a jogar pedras em direção à coisa, conseguindo acertá-la e derrubá-la. Ele deseja se aproximar e ver a criatura, mas é impossível na completa escuridão. Até que novamente começa a ouvir sons e percebe a aproximação de seu guia.


Com a iluminação fornecida pela tocha do guia, ele abate a criatura e eles a examinam. Conforme seus atributos vão sendo revelados (a branquidão do ser, ausência de cauda, mãos e pés não preênsis, olhos completamente negros em contraste com a alvura), o terror vai dando lugar um completo horror ao narrador quando ele percebe que se tratava de algo que já foi um ser humano.


Essa é uma característica marcante do conto, em que o terror, o medo do oculto, é transformado no horror, aquele medo de algo conhecido.


"A criatura que eu havia matado, a estranha besta da caverna era, ou havia sido algum dia, um HOMEM!!!"


Para escrever A Besta na Caverna, autor passou dias na biblioteca estudando a respeito do local que serviu de cenário para seu conto, e em seus estudos, descobriu que a caverna foi a morada de uma colônia de pacientes tuberculosos, dado que incluiu na sua obra.


É interessante reparar que o narrador se declara um homem doutrinado pelo estudo filosófico. Em dado momento ele tem seu cérebro tomado por temores supersticiosos, o que deseja afastar o mais rapidamente, e atém-se à ciência ao observar o aspecto físico da besta quando finalmente pode vê-la. Aos poucos, os atributos são notados como menos bestiais, menos símios e por fim, definitivamente humanos.


É uma história bem curta em que o temor vai aumentando a cada parágrafo, até chegar ao seu ápice com a revelação final em sua última linha (recurso utilizado mais vezes posteriormente pelo autor). Além de breve, ela é bem contada, um tanto surpreendente uma vez que foi escrita por um adolescente. Ademais, não possui a característica linguística tão particular que Lovecraft desenvolveu ao longo dos anos, sem os arcaísmos e as adjetivações exageradas.


Ao reler esse conto, logo veio à minha cabeça o filme Abismo do Medo (2005), em que um grupo de jovens adentra um sistema de cavernas desconhecido e é atacado por criaturas. Tais seres, possivelmente foram resultado da evolução e desenvolvimento de humanos que viveram nesse local isolado e longe de toda luz. Não há nenhuma informação oficial de que o filme tenha se inspirado na obra de Lovecraft, mas é possível notar alguma semelhança.


Criatura de Abismo do Medo

Esse conto está disponível em português em algumas coletâneas do autor, algumas vezes com o título traduzido de outras formas, como "A Fera na Caverna" na edição da Martin Claret. Em breve estará aqui no acervo do site também.


Enquanto isso, você pode conferir os quadrinhos feitos pelo artista Jason Thompson (em inglês), publicados em seu site em 2013:

Uma outra adaptação foi feita, dessa vez em forma de curta metragem, o "The Beast in the Cave", dirigido por Cameron McCasland e lançado em 2016. Tem só seis minutos e está disponível no youtube, confira aqui:




E finalizando este extenso post, confira abaixo os scans do rascunho original, disponibilizados pelo Brown Digital Repository: